Vamos transformar juntos o Comércio Exterior no Brasil.

Estamos preparando um novo ciclo de aceleração cheio de novidades. Se você acredita que a sua startup irá mudar o futuro do comércio exterior, não deixe de preencher o formulário de cadastro e receba as novidades em primeira mão.

Faça seu cadastro

Blog Aceleradora 4Comex

29.09.2020 Inovação & Tecnologia

Profissional T

Lembro-me de uma discussão em específico com um amigo sobre as especialidades necessárias para o profissional do futuro. Ele defendia que necessitamos nos especializar em cada vez mais áreas. Eu defendia o ponto de que um generalista ganhará mais importância nas próximas décadas. Depois que me deparei com o conceito de Profissional T (conceito T-Shaped), parece-me que tanto eu quanto meu amigo tínhamos razão, de certa maneira.

Calma, esse conceito não vem da área tecnológica, do design ou afins. Vem do Recursos Humanos! E não é um conceito novo, pois existem citações que remetem à década de 80. Entretanto, tende a ganhar cada vez mais importância.

A razão dessa valorização é “simples”: o mundo está cada vez mais complexo. A quantidade crescente de variáveis que precisam ser analisadas aumentou a incerteza. Portanto, os problemas apenas podem ser solucionados com a multidisciplinariedade (palavrinha difícil, viu!). Equipes multidisciplinares são cada vez mais “obrigatórias” dentro das organizações.

Isso quer dizer que o perfil especialista deixará de ser valorizado? Não, não é isso. A questão principal é que, dentro de um capitalismo do conhecimento (ou economia do conhecimento, como também é conhecida), os profissionais T-Shaped têm sido reconhecidos pelas equipes de recursos humanos como colaboradores multidisciplinares que possam conectar as diferentes áreas de negócio e os seus respectivos especialistas.

Mas por que o “T”? É mais fácil explicar com a figura abaixo:

Uma imagem contendo screenshot

Descrição gerada automaticamente

O T-Shaped reúne a capacidade de ser um especialista em uma ou mais áreas (eixo vertical), mas também é capaz de generalizar para mais áreas (eixo horizontal). Na figura acima, talvez ainda existam dúvidas mais práticas. Então, abaixo, um exemplo bem ilustrativo dado no blog da Mirago para profissionais de Marketing:

Uma imagem contendo texto, screenshot

Descrição gerada automaticamente

Vale destacar que é impossível ser especialista em todas essas áreas (desconfie de quem disser isso!). 

Voltando à figura, o profissional em questão tem especialização em dois blocos (Marketing de Conteúdo e em Marketing de Ciclo de Vida), com conhecimentos genéricos em mais de dez.  Se ele fosse designado para uma equipe de inovação, ele poderia colaborar em Design de Experimentos e até mesmo no Front-end. Se a inovação estiver relacionada a um machine learning, esse profissional também será capaz de gerar insights. Ele não é especialista em nenhuma das demais áreas, mas estará apto em contribuir com a organização ou mesmo na seleção com mais assertividade de um fornecedor.

 

Atualmente, podemos observar uma quantidade imensa de exemplos:

  • Advogados tributaristas (lembrando que Direito é uma área bem extensa) com conhecimentos em Contabilidade;

  • Engenheiros de produção com conhecimentos profundos em Logística e Comércio Internacional;

  • Pesquisadores de Experiência de Usuário (UX Researcher) com habilidades de UI (User Interface) Design;

  • Especialistas de logística, analistas financeiros, médicos com habilidades na área de inovação.

As organizações têm buscado esse tipo de profissional devido a alguns motivos em específico, que têm menos relação com o conhecimento adquirido e mais com os soft skills:

  • Empatia: esse tipo de profissional tem uma capacidade maior de observar o problema e a solução proposta de diferentes perspectivas, além de estar mais aberto em ouvir as dificuldades enfrentadas pela equipe ou mesmo pelos parceiros externos. Esse profissional escuta ativamente e está mais propenso em buscar uma solução conjunta.

  • Colaborativo: o profissional T-Shaped tende a ser bem menos arrogante, pois ele sabe que não sabe (Sócrates ficaria orgulhoso desses profissionais). Consequentemente, ele estará mais disposto a colaborar com a equipe e em projetos diversos.

  • Curioso:  o profissional em questão é naturalmente curioso, visto que ele não se contentou em conhecer apenas a própria área. Foi, aos poucos, migrando e adquirindo novas competências técnicas. Com novos conhecimentos sendo criados quase que diariamente, esse profissional buscará proativamente saber sobre as tendências.

  • Capacidade de reaprender: um profissional T-Shaped tem a característica interessante de estar apto a aprender mais e mais, mesmo que para isso seja necessário “esquecer” tudo o que aprendeu até ali sobre um determinado tópico.

    • Além disso, quem pode afirmar que o que estamos aprendendo em 2020 será realmente útil em 2030? Quem dirá em 2040! Portanto, essa soft skill é um dos pilares para esse profissional

Some empatia, colaboração, curiosidade e reaprendizagem... Isso lembra algo a você? Para mim, sim: ambientes que incentivam a inovação. Esses profissionais T-Shaped caem como uma luva para as empresas têm o DNA Inovador.

Apenas não podemos romantizar o T-Shaped, visto que ele estará mais parecido com a figura abaixo...

Uma imagem contendo edifício, verde, metal, muito

Descrição gerada automaticamente

Todos nós podemos nos tornar um profissional T-Shaped. Mas é necessário paciência e resiliência. Força de vontade para estudar, pois é improvável que alguém na organização indique para você estudar assuntos que não estejam diretamente relacionados às suas responsabilidades e tarefas.

Mas, como podemos ser esse tipo de profissional? Lendo alguns materiais, a gente pode chegar a três dicas essenciais:

  • Faça uma reflexão sobre você. Quais são as habilidades desenvolvidas até o presente momento? Quais competências técnicas que você gostaria de ter? Quais são as tendências da minha área?

  • Defina o que você quer ser realmente especialista e quais são as novas competências que você adquirirá nos próximos anos. Busque mentores e converse com amigos do trabalho sobre esse segundo tópico. É extremamente importante que você possa aliar conhecimento teórico e prática.

  • Nunca pare de aprender. Não fique na zona de conforto. Não seja alguém que fale “parei de estudar porque não tem nada de efetivamente novo”. Cuidado também com o extremo, a ponto de gerar ansiedade. Uma dica bem legal é: leia 45 minutos, todos os dias, sobre algo que você não sabe. Lifelong learning. Não é possível escapar disso.

Sabe as atividades extracurriculares durante a graduação? Basicamente, um profissional T-Shaped está sempre aprofundando a especialidade dele, enquanto não deixa de prestar atenção em mais blocos para o eixo horizontal. Uma nova graduação, pós-graduação, cursos online de curta duração, cursos presenciais de 2 dias... tudo é válido para ampliar o conhecimento e desenvolver novas competências.

Mais uma vez, gostaria de destacar que um especialista não deixará de ser valorizado no futuro, principalmente porque alguns ramos de conhecimento estão se tornando extremamente complexos (exemplo é a inteligência artificial). Entretanto, o profissional T-Shaped ganhará um destaque aos olhos das organizações por conseguir conectar áreas de negócio não antes conectadas.


Artigo escrito por Yuri da Cunha Ferreira

Especialista em Comex e Analista de negócios da Aceleradora 4Comex

Vamos Conversar? Cadastre seu email e fique conectado com esse ecossistema de inovação.

Realização

A Columbia Trading é uma empresa atuante no ramo logístico e trading no Brasil, parte de um grupo líder mundial em operações de Trading de Commodities Agrícolas, é prestigiada por ser uma das empresas mais éticas e responsáveis. Pautam a experiência do usuário (UX) como ponto chave para o sucesso. Em 20 anos de existência, especializaram-se em soluções para Comércio Exterior, além de possibilitar um processo mais otimizado de importação e exportação aos seus clientes. Veja mais:

www.columbiatrading.com.br
Contato
imprensa@a4comex.com.br
projetos@a4comex.com.br