Vamos transformar juntos o Comércio Exterior no Brasil.

Estão abertas as inscrições para o Programa de Aceleração da 4Comex, a primeira aceleradora exclusivamente focada em comércio exterior.

Faça sua Inscrição

Blog Aceleradora 4Comex

13.04.2020 Inovação & Tecnologia

4 amplos conceitos do Scrum para você aplicar em qualquer projeto

Existem alguns conceitos do Scrum que podem ser aplicados em qualquer tipo de projeto no qual você estiver envolvido. Sim, sabemos que o Scrum foi adaptado e expandido para várias áreas além da indústria de softwares. Mas gostaríamos de abordar quatro desses conceitos e vocês fiquem totalmente à vontade para imaginar como poderiam internalizá-los no seu cotidiano.

Primeiro conceito é o Sprint Review.

O que é exatamente isso? Dentro do framework do Scrum, esse é o momento em que o Product Owner (P.O.) e o Time de Desenvolvimento (Dev Team) convidam os stakeholders, internos e externos, e apresentam o que foi produzido durante aquele Sprint. Qual o objetivo em específico? Receber críticas e entender se o que foi desenvolvido, naquele período, realmente atende às expectativas dos usuários e dos patrocinadores do projeto. Devemos destacar que nem todos os feedbacks realmente são valiosos, mas isso faz parte do processo e cabe à equipe possuir análise crítica e filtrar o que realmente deve ser corrigido.

Isso soa quase óbvio para tudo o que poderíamos liderar de projetos, certo? Se você cozinha (ainda mais nessa quarentena!), me entenderá perfeitamente: quando você está preparando um molho, você não o experimenta aos poucos, antes dele ser servido realmente, e convida alguém para que também o faça? Ou você confia plenamente na sua capacidade de master chef? No caso do Sprint Review, a gente pode aplicar o “conhecimento popular”: quando você está imerso em uma situação, não consegue ver todas as opções. Quando o time está desenvolvendo um projeto, busque opiniões externas. Faça isso de modo estruturado, pois os resultados serão surpreendentes!

O segundo conceito está ligado intrinsecamente com a famosa melhoria contínua. No Scrum, isso é plenamente percebido na Restrospectiva do Sprint.

Três perguntas aqui devem ser feitas:

·        O que acertamos no último Sprint?

·        O que poderíamos ter feito melhor?

·        O que deveríamos tentar para melhorar nosso desempenho para o próximo Sprint?

Postamos recentemente um “Lições Aprendidas” no nosso blog. A gente aplica o Scrum de modo estruturado na Aceleradora? Não. Apesar disso, essas perguntas são vitais para quem tem fome de melhorar. Reconhecer os erros cometidos durante um projeto tem relação direta com a transparência, um pilar para que a melhoria contínua e o ambiente inovador sejam implementados na organização. Entretanto, você não pode focar apenas no que errou. Seja franco no que foi aplicado corretamente. Por exemplo, se é a primeira vez que você está rodando o Scrum na sua empresa, você pode (e deve!) indicar que o Daily Scrum foi realmente produtivo, como o framework “manda”.

E se a equipe gostar de focar na solução e não apenas no problema, para a terceira pergunta, inúmeras ideias surgirão! Apesar da tentação ser grande, não tente aplicar todas de uma vez. Observe, pense, discuta e escolha uma ou duas para ser aplicada imediatamente. As equipes dificilmente conseguirão internalizar com eficiência mais do que isso. Mudanças, principalmente de cultura, precisam ser feitas aos poucos para que tenham um efeito duradouro ao longo do tempo.


Os dois últimos conceitos, Definição de Finalizado e Critérios de Aceite, podem, num primeiro momento, confundir um pouco. Vamos começar pelo primeiro desses citados.

Enquanto escrevo aqui, esse conceito acabou de (não) ser aplicado. Discutimos aqui sobre um novo parceiro, que nos enviou assinado o nosso modelo de cooperação, aprovado previamente pelo Jurídico da Columbia Trading, junto com o logo para que atualizemos o nosso site. Por mim, atualizaríamos imediatamente o site. Para a Paula, precisamos esperar o último aceite do Jurídico. Então, qual seria o conceito, nesse caso, de realmente “fecharmos uma nova parceria”?

A Definição de Finalizado, ou conhecido no termo em inglês como “Definition of Done”, impacta em qualquer tipo de processo. Para quem não está tão familiarizado com esse conceito, uma pergunta simples é feita: quando uma nova funcionalidade está pronta? O desenvolvedor responderá que é quando acaba de programar. O tester responderá quando acabar a aplicação de todos os procedimentos de quality assurance. O P.O. falará que apenas quando o usuário aprovar, ou seja, após o Sprint Review. No dia-a-dia de uma empresa, uma pergunta bem simples seria: quando posso faturar para o meu cliente? Em todas as relações contratuais, isso teoricamente está bem definido. Menciono “teoricamente” porque sabemos que, na prática, isso causa várias dores de cabeça para as equipes jurídicas responsáveis pelos contatos.


Chegamos, então, no último conceito de hoje (prometemos a vocês que ainda falaremos mais sobre Scrum em próximos posts!!!), Acceptance Criteria.

Vocês, como usuários, fizeram alguma vez um pedido a um prestador de serviço e não receberam o que solicitaram, mas o prestador disse que fez o serviço? Um exemplo que vem à minha cabeça é o atendimento de empresas de telefonia no qual nós (e falo “nós”, porque certeza que você passou por essa situação) ligamos e eles dizem que estão encerrando o chamado porque “o atendimento está concluído”. Você desliga, então, enraivecido porque os seus “critérios mínimo” para o “atendimento estar concluído” não foi atingido, certo?

Esse conceito aplicado no Scrum é justamente você “combinar o jogo com os russos” (como diria Garrincha) com o stakeholder interessado, normalmente o usuário final, sobre as funcionalidades a serem desenvolvidas. Quais são as características exatas que devem ser entregues para que o trabalho seja minimamente aceito? Assim que “as regras sejam estabelecidas”, comunica-las à equipe de desenvolvimento do projeto para que essa não seja pega de surpresa no momentum finale.

A área de comércio exterior é repleta de legislações. Tomemos o MAPA (Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento) como exemplo. Para que você proceda com importações de vinho, a empresa importadora precisará apresentar certificados e licenças específicas. Caso eu desenvolva uma funcionalidade de “licença” no meu software, então, os critérios mínimos estabelecidos poderiam estar diretamente vinculados ao “cumprimento da legislação”. Mas, poderíamos pensar em inúmeros casos fora do mundo de software, como citamos anteriormente.

 

Veja que não é preciso aplicar o Scrum por completo para melhorar a relação com os stakeholders e incentivar a melhoria contínua! Esses dois valores fazem parte de toda e qualquer organização de grande sucesso.

Espero que tenhamos atiçado a imaginação em como aplicar esses conceitos nas rotinas da sua organização!


Artigo escrito por Yuri da Cunha Ferreira

Especialista em Comex e Analista de negócios da Aceleradora 4Comex

Vamos Conversar? Cadastre seu email e fique conectado com esse ecossistema de inovação.

Realização

A Columbia Trading é uma empresa atuante no ramo logístico e trading no Brasil, parte do Grupo ECOM, líder mundial em operações de Trading de Commodities Agrícolas, é prestigiada por ser uma das empresas mais éticas e responsáveis. Associada ao Instituto Ethos, pautam a experiência do usuário (UX) como ponto chave para o sucesso. Em 20 anos de existência, especializaram-se em soluções para Comércio Exterior, além de possibilitar um processo mais otimizado de importação e exportação aos seus clientes. Veja mais:

www.columbiatrading.com.br
Contato
imprensa@a4comex.com.br
projetos@a4comex.com.br